Partilhar

Giro Pintado de Cinzento!

152 quilómetros era o que separava os ciclistas ao início da jornada do 2º dia de descanso.

A originalidade dos fãs antes do dia de descanso.

Alexey Tstatevich (Gazprom – RusVelo), Mads Pedersen (Trek – Segafredo), Marco Marcato e Sacha Modolo (UAE Team Emirates), Omar Fraile (Dimension Data), Jan Tratnik (CCC), Matteo Montaguti (AG2R La Mondiale), Luis Leon Sanchez (Astana), Matteo Busato (Wilier-Triestina), Iljo Keisse (Quick Step – Floors) Pierre Rolland (Cannondale – Drapac) e Tomasz Marczynski (Lotto Soudal) foram os escapados do dia. Esetes foram totalmente anulados a 24km’s do fim, a 10 do início do Roccamorice, subida que iria acompanhar os ciclistas até final da jornada.

Fuga do dia.

Mas a 15 quilómetros do final, a etapa e a edição centenária do Giro d’Italia ficaram manchados: uma mota, parada indevidamente no meio da estrada, jogou ao chão parte do pelotão. Entre os lesados, 3 candidatos à vitória final, Mikel Landa e Geraint Thomas (Team Sky), Adam Yates (Orica – Scott) e ainda Wilco Kelderman (Team SunWeb). A integridade física dos ciclistas foi posta em causa, novamente, por causa de uma moto. A veracidade da corrida igualmente posta em causa. O que fez a organização? Nada!

  • Não neutralizou a corrida.
  • Não corrigiu o tempo de nenhum dos lesados.
  • Não parou a corrida.

Qualquer uma destas vertentes tem o mesmo senão: alguns ciclistas iriam recolar no pelotão e não perder tempo e os ataques posteriores ficariam nulos. Mas o que há acima da vida humana?

O incidente.

Quanto à restante etapa, Bob Jungels (Quick Step – Floors) cedo descolou para fazer a subida no seu ritmo. A Movistar continuou a impor um ritmo fortíssimo que deixou o pelotão reduzido a poucas unidades quando o seu líder, Nairo Quintana, atacou pela primeira vez a 6,8km. Levou consigo Thibaut Pinot (FDJ) e Vincenzo Nibali (Bahrain – Merida) que deixou para trás em definitivo a 4,5km’s do fim.

O momento do ataque fatal do colombiano.

O colombiano venceu e ascende assim à liderança. Pinot chegou a cerca de meio minuto e logo a seguir, um duo holandês que minimizaram as perdas: Tom Dumoulin (Team SunWeb) ainda junto do francês e logo a seguir Bauke Mollema (Trek – Segafredo). Quanto a Geraint Thomas, o britânico conseguiu minimizar as perdas mas quebrou pagou caro a factura no final e chegou a 5 minutos de Quintana. Yates chegou pouco antes, enquanto Landa abdicou e Kelderman abandonou a prova.

Quintana a cruzar a meta.

No que toca aos portugueses, José Mendes (Bora – Hansgrohe) chegou no 19º posto, Rui Costa (Team UAE Emirates) junto de Thomas no 28º e José Gonçalves (Katusha – Alpecin) no 144º lugar. Ocupam agora as posições 51º, 18º e 79ª posições na geral, respectivamente.

Top-12 após a 9ª jornada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here