Partilhar

Esta corrida belga já é conhecida pela sua dureza, mas este ano conseguiu atrair um pelotão cheio de qualidade, com a destaque para a Quick – Step Floors, que veio ‘carregada’.

A fuga demorou algum tempo para se formar, mas quando se formou, com homens como Damien Gaudin (Direct Energie), francês que já brilhou em Portugal, teve sempre uma margem muito pequena, pois a Quick – Step quis assumir a corrida desde cedo.

A fuga foi alcançada e a equipa belga começou a dar espectáculo com nova frente a formar-se com seis dos 15 homens a serem da Quick – Step. Niki Terpstra e Phillipe Gilbert, dupla da equipa belga, eram os líderes e conseguiram ir destruindo o grupo à medida que os quilómetros passavam.

A derradeira fuga do dia.

A cerca de 17km da meta começaram os ataques, começando por Gilbert, mas foi Terpstra que se destacou e mais ninguém o apanhou até à meta. A 3km do fim, o vencedor da Flandres do ano passado atacou e deixou completamente parado Gaudin, completando assim a dobradinha da Quick – Step.

A 1ª vitória do ano para Niki.

Damien Gaudin (Direct Energie) ficou com o terceiro posto, num top-10 com 3 homens da formação francesa e 6 ciclistas de equipas pro continentais.

Top-10 final da 50ª edição.

 

Partilhar
Artigo anterior4º Abu Dhabi Tour
Próximo artigo12º Strade Bianche
Aprendeu a ver, comentar e redigir ciclismo junto do seu amigo Paulo Martins. Sempre à procura de mais e melhor, Diogo Santos é o director do Ciclismo 24 por 24 desde Fevereiro de 2015. Para ele, não existem inimigos nem rivais na modalidade, pois o ciclismo permite diversas perspectivas e oferta. Diogo Santos é uma das vozes mais activas contra o "Acordo" Ortográfico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here