Partilhar

Dia 9 de Setembro foi dia de se realizar a primeira das duas já habituais clássicas canadenses. A 7ª edição do GP de Quebec contou com algumas das maiores estrelas do pelotão internacional.

A fuga do dia foi constituída por Valerio Agnoli (Astana), Lars Bak (Lotto – Soudal), Maxim Belkov (Katusha), Twan Castelijns (Team LottoNL – Jumbo), Matt Brammeier (Dimension Data), Alexandre Pichot (Direct Energie), Jan Barta (Bora – Argon 18) e Nicolas Masbourain (Selecção do Canadá). A fuga foi alcançada à partida dos últimos 30 quilómetros da clássica, dando lugar a inúmeros ataques oriundos do pelotão.

O pelotão a atravessar as ruas históricas de Quebec.

O ataque de maior relevo decorreu a 2 quilómetros do fim, quando Matteo Trentin e Julian Alaphilippe (Etixx – Quick Step) se juntaram a Gian0997ni Moscon (Team Sky) e quase vingaram.

Matteo Trentin tentou isolar-se face aos restantes companheiros de fuga.

O pelotão disputou a clássica ao sprint, onde Peter Sagan (Tinkoff) levou a melhor sob Greg van Avermaet (BMC Racing Team) e Anthony Roux (FDJ), respectivamente.

Quanto aos portugueses, Rui Costa (Lampre – Merida) finalizou em 13º, Nelson Oliveira (Movistar Team) em 43º e André Cardoso (Cannodale – Drapac PCT) em 54º.

Sagan venceu sob o seu maior “carrasco”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here