Partilhar

Thor Hushovd nasceu a 18 de Janeiro de 1978, em Grimstad. Desde cedo se destacou e, em sub-23, venceu o Campeonato do Mundo de Contra-Relógio, o Paris – Roubaix e o Paris – Tours. Tornou-se profissional em 1998 e venceu pela primeira vez a nível profissional em 2002, ao 18º dia do Tour de France.

Em 2005 fechou o pódio da Milano San Remo. Estreou-se a vencer na Vuelta a España e levou a camisola da regularidade no final para casa. No ano seguinte, venceu a Gent – Wevelgem. Nesse mesmo ano venceu o prólogo inaugural do Tour, sendo o primeiro norueguês a envergar a camisola amarela na prova rainha do ciclismo. Venceu ainda na chegada a Paris, tornando-se o primeiro ciclista a vencer a etapa inaugural e a última no mesmo ano. Em 2007 estreou-se a vencer no Giro d’Italia.

O primeiro norueguês a envergar a camisola amarela no Tour.

Em 2009, no astro norueguês mudou de equipa. Deixou a Crédit Agricole onde estava desde os primeiros passos enquanto profissional e mudou-se para a Cervelo Test Team, onde permaneceria até 2011. Venceu a Omloop Het Nieuwsblad e fechou o pódio da Milano San Remo e do Paris – Roubaix. Pelo 4º ano consecutivo, venceu uma etapa no Tour de France. Em 2010, viu Fabian Cancellara vencer o Paris – Roubaix, fechando em 2º lugar. Após vencer pelo 5º ano consecutivo no Tour, venceu o Campeonato do Mundo, na prova de Fundo, batendo Matti Breschel e Allan Davis ao sprint.

Thor Hushovd com um triunfo histórico – Ouro no Campeonato do Mundo de Estrada.

2 etapas no Tour em 2011 e no final do ano, uma mudança para a BMC Racing Team, onde ficaria até final da carreira. Participou então na sua última Grande Volta, o Giro. Abandonou com uma mononucleose, hipotecando as hipóteses de marcar presença no Tour e nos Jogos Olímpicos, conforme estava planeado. Regressou em Julho no Tour of Pologne mas abandonou à 5ª etapa. Regressa a terras polacas no ano seguinte, vencendo duas etapas, prosseguindo para a Arctic Race of Norway. Correndo em casa, venceu 3 etapas, a Classificação Geral e a Camisola dos Pontos.

Hushovd a vencer com a camisola do Arco-Íris ao 16º dia do Tour.

Em Junho de 2014, anunciou a sua retirada nos Campeonatos do Mundo, no entanto, um choque com uma adepta na Tour du Poitou-Charentes fê-lo retirar-se na Primus Classic Impanis – van Petegem. 6 anos consecutivos a vencer no Tour com 13 vitórias em Grandes Voltas, 3 Campeonatos Nacionais de Contra-Relógio, outros tantos de Fundo e após uma carreira com 49 vitórias, Hushovd disse adeus ao pelotão internacional.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here