Partilhar

Considerada uma das grandes clássicas flamengas, a Gent – Wevelgen, tal como outras importantes clássicas neste período, serve de preparação para o grande momento do pavé da Flandres, o Tour des Flandres.

O povo saiu à rua para ver os ciclistas passar.

A fuga do dia foi composta por Preben Van Hecke (Sport Vlaanderen-Baloise), Dennis van Winden (Israel Cycling Academy), Elmar Reinders (Roompot – Nederlandse Loterij), Hugo Houle (AG2R La Mondiale), Ryan Mullen (Cannondale – Drapac), Mark McNally (Wanty Groupe – Gobert), Jay Thomson (Team Dimension Data), Loïc Chetout (Cofidis, Solutions Credits) e Christophe Masson (WB Veranclassic Aqua Protect).

Fuga do dia.

Com um percurso relativamente mais acessível que o E3 Harelbeke, a 79ª Gent -Wevelgem chegou ao último muro do dia (Kemmelberg) com um grupo bastante numeroso na frente da corrida. Foi esse o momento chave para Greg van Avermaet (BMC Racing Team). O belga, vencedor do E3 Harelbeke há dias atrás, lançou um ataque que teve o condão de reduzir o grupo que seguia na frente da corrida.

A corrida teve o seu momento crucial a cerca de 20 km da meta quando um quinteto formado por Avermaet, Peter Sagan (Bora – Hansgrohe), Kragh Andersen (AG2R La Mondiale), Jens Keukelleire (Orica – Scott) e Niki Terpstra (Quick-Steep Floors) se destacou do já bastante fraccionado grupo principal. A vantagem era reduzida mas o quinteto conseguiu aguentar o ritmo e a cerca de 15 km do final, Keukeleire e Avermaet isolaram-se na frente discutindo a vitória da prova ao sprint.

Van Avermaet a tentar fazer as diferenças.

Sem surpresa a força e a ponta final do corredor da BMC fizeram a diferença e van Avermaet colocou mais um troféu na sua já bem recheada montra de vitórias em 2017. O pódio ficou completo com Peter Sagan que desse modo foi incapaz de defender o título alcançado no ano transacto.

Sprint final.

Destaque ainda para Tom Boonen (Quick Step – Floors, 7º classificado) que mostra indícios de estar em grande forma, sendo um dos candidatos ao Tour des Flandres e ao Paris – Roubaix, prova que marcará a sua despedida. Nuno Bico (Movistar) foi o único português em prova, não tendo cortado a linha de meta.

Top-10 final.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here