Cadel Evans nasceu no dia 14 de Fevereiro de 1977. Durante a sua vasta carreira representou a Saeco Macchine per Caffe (2001), a Mapei – Quick Step (2002), a Team Telekom (2003), a T-Mobile Team (2004), a Lotto (2005 – 2009) e a BMC Racing Team (2010 – 2015).

A sua carreira começou bem antes da estrada, neste caso no BTT. Nesta vertente obteve grandes resultados, entre os quais o 3º lugar no Campeonato do Mundo de BTT júnior (1995), o 3º posto no Campeonato do Mundo de Contra-Relógio júnior (1995), o 2º lugar nos Campeonatos do Mundo de BTT sub-23 (1997 e 1999) e o 1º lugar em duas das provas da Taça do Mundo de BTT (1998 e 1999), uma das quais em Silves, em 1998.

Tornou-se profissional em 2001, na Saeco, depois de ter estagiado na equipa no segundo semestre de 1999. Entre diversos top-10 e algumas vitórias de etapas, os grandes resultados para o australiano começaram a surgir em 2006, com a vitória na geral do Tour de Romandie. Em 2007 alcançou o 2º lugar na geral do Tour de France, feito que repete no ano seguinte. Em 2009 terminou o seu ciclo na Lotto com o 3º lugar na Geral da Vuelta a España e a vitória nos Campeonatos do Mundo de fundo.

2009, ano em que Cadel Evans conquista o Mundial!

Com novas cores, abriu em grande o último capítulo da sua carreira. Venceu a La Flèche Wallone e a camisola dos pontos no Giro d’Italia. 2011 foi o melhor ano de Cadel Evans. Este obteve vitórias na geral do Tour de Romandie, do Tirreno-Adriatico e no Tour de France. Na prova francesa foi um feito histórico e saudado pela sua nação, visto ter sido o primeiro australiano a vencê-la.

Cadel Evans, o vencedor do Tour de France 2011.

No ano seguinte a vitória sorriu-lhe apenas na geral do Critérium Internacional. 2013 foi um novo ano agreste para o emblemático ciclista, fechando apenas pódio no Giro d’Italia (3º lugar). Em 2014 o australiano apostou tudo apenas na prova italiana, no entanto, o objectivo foi redondamente falhado, fechando apenas no 8º lugar, após ter estado na liderança da prova.

Com o declínio da carreira em evidência, o ciclista da BMC anunciou a sua retirada para o início de 2015, na 1ª edição da “sua” prova de onde saiu com o 5º posto. Antes, fechou pódio em casa, no Santos Down Under. Para trás ficaram 34 vitórias, 10 das quais em provas por etapas e 18 participações em Grandes Voltas, fechando por 11 vezes no top-10.

Cadel Evans na última prova da sua carreira, com uma bicicleta personalizada para o evento.

Em Março de 2017 Cadel Evans regressou à bicicleta de montanha, participando na Cape Epic. A prova de oito dias e corrida em duo, acumulou 641 quilómetros pela África do Sul. Evans, acompanhado de George Hincapie (seu braço-direito na vitória no Tour de France) venceu a prova na sua categoria de masters.

Relativamente à Cadel Evans Great Ocean Race, esta continua de pé, actualmente pertencente ao WorldTour, o maior escalão de provas UCI.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here